Como pedir bolsa familia

O Bolsa Família é um programa de transferência de renda direta do governo federal que tem ajudado milhares de famílias a viver de forma mais digna, podendo suprir suas necessidades básicas como alimentação e higiene.
 Além da renda mensal concedida aos participantes do bolsa família, existem outros benefícios indiretos, como empréstimos para ajudar a pessoa a começar um pequeno negócio familiar e conseguir participar de outros programas como a bolsa gestante e o Brasil carinhoso.

 Quem tem direito ao bolsa família:

O programa Bolsa Família  é destinado a famílias consideradas em estado de pobreza ou de extrema pobreza.
Famílias com renda de até R$89,00 mensais por pessoa da família são consideradas como de extrema pobreza. Nesse caso, a família é considerada apta  para participar do programa.

Aquelas que recebem mensalmente de R$89,00 até R$178,00 por pessoa da família são consideradas como pobres. Para essas famílias consideradas pobres participarem do programa é necessário que existam crianças ou adolescentes até 17 anos de idade ou gestantes  no grupo familiar.


Se a família se encaixa nos critérios de renda e têm membros até 17 anos ou gestantes podem se cadastrar no CadUnico para pedir o Bolsa Família, porém há alguns requisitos que a família tem que cumprir para receber o bolsa família e são:
  • Se houver gestantes no grupo familiar, essas devem comparecer a todas as suas consultas pré natal.
  • Mães em período de amamentação devem participar das palestras e atividades educativas sobre alimentação saudável e aleitamento materno.
  • O cartão de vacinação das crianças até 7 anos deve estar em dia.
  • Mulheres entre 14 e 44 anos devem fazer acompanhamento de saúde no posto de saúde.
  • As crianças e adolescentes até 15 anos devem manter frequência mínima de 85% na escola e os adolescentes de 16 e 17 anos devem ter frequência mínima de 75% nas aulas.
como cadastrar bolsa família

Qual o valor do bolsa família:

Dentro do bolsa família existem vários benefícios sociais que podem ser acumulados, dependendo da formação da família.
O beneficio básico é destinado as famílias em situação de extrema pobreza, o auxilio desse tipo de beneficio é de R$ 89,00 ao mês.
Ao benefício básico é possível somar benefícios variáveis, como o beneficio variável destinado agestantes  e a nutrizes, se você quer saber como pedir a  chamada bolsa gestante, acesse o link abaixo.


As famílias que possuem membros  com idade entre 0 e 15 anos podem acumular com o benefício básico o benefício variável de 0 a 15 anos, este benefício tem valor mensal de R$ 41,00.

Se a família possui membros de 16 ou 17 anos a família pode receber mais R$ 48,00 pelo benefício variável jovem. Cada família pode receber no máximo 2 benefícios variável jovem (R$ 96,00) mensalmente.

Famílias em situação de extrema pobreza que recebem menos de R$89,00 por pessoa mensalmente podem receber o benefício para superação de extrema pobreza, este é um benefício de valor variável que é calculado com base na renda per capita da família e do beneficio básico do bolsa família.

As famílias em situação de pobreza podem acumular até 5 benefícios variáveis  por mês, somando R$ 205,00 mensais.
Já as famílias em extrema pobreza podem acumular o benefício básico com os benefícios variáveis até o limite de R$372,00 mensais, além de um benefício para superação de extrema pobreza.

Como solicitar o bolsa família:

Para receber o auxilio do bolsa família é preciso estar cadastrado no Cadastro Único do governo federal e manter os dados de cadastramento atualizados.
Não existe data certa para o cadastramento de novas famílias no programa, você pode ir a qualquer época.

Infelizmente, não é possível fazer o cadastramento para o bolsa família através da internet. O cadastro deve ser feito pessoalmente na prefeitura da cidade ou no órgãos responsáveis pelo bolsa família, em muitas cidades são os CRAS (centros de referência de assistência social).

O responsável pela casa deve ir ao órgão responsável para fazer o cadastramento, essa pessoa deve ter mais de 16 anos  e de preferência ser uma mulher, mas isso não é obrigatório.
Ao pedir para ser incluso no cadastro único, o responsável pelo lar deve levar seu CPF e seu título de eleitor,  um comprovante de residência atualizado (de até 3 meses antes).

Deve levar também a certidão de nascimento das crianças, RG de todas as pessoas da família que possuam, Certidão de casamento, se houver, e a carteira de trabalho dos membros da família que possuírem. Por família entenda as pessoas que moram na mesma casa e dependem da mesma renda.
Se o chefe da família for indígena ou quilombola não é obrigatório apresentar o CPF ou o título de eleitor, mas os documentos dos familiares são obrigatórios.
O simples cadastro não é garantia para receber os beneficio de bolsa família.

como pedir bolsa família


Além do cadastro único, é possível pedir ao atendente que já te inclua no cadastro do bolsa família, mas se já está inscrito no cadastro único, basta ir ao CRAS mais próximo ou ao setor da prefeitura de sua cidade responsável pelo bolsa família com o RG, CPF, título de eleitor e carteira de trabalho de todos os componentes do grupo familiar, documentos para comprovar renda (carteira de trabalho para quem trabalho registrado, para pessoas que trabalham por conta pode ser a declaração de imposto de renda, extrato dos últimos meses da conta corrente ou mesmo faturas de cartão de crédito, ou se esses são impossíveis, é possível fazer declaração de renda mensal em cartório, gratuitamente para pessoas reconhecidamente pobres. 

Leve também as contas de consumo básicas, como água, energia elétrica e telefone. 
Se possível leve a carteira de vacinação das crianças até 7 anos e para as crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, leve a declaração de matricula e uma declaração ou atestado de frequência, ambos os documentos podem ser obtidos na secretária da escola onde as crianças ou adolescentes estudam, geralmente de forma gratuita, mas pode não sair na hora e ser necessário aguardar a confecção dos documentos.

Ao realizar o  cadastro, poderá haver também uma entrevista com assistente social, nessa entrevista, é importante que você responda a todas as perguntas de maneira objetiva e sincera, isso pode facilitar a aprovação do beneficio. Se o assistente social solicitar algum documento adicional, leve o mais rápido possível.

Após a apresentação dos documentos e as entrevistas, o cadastro será analisado pelo Ministério do Desenvolvimento social, essa seleção é feita mensalmente e tem como base a formação da família e a renda de seus integrantes.
Se o beneficio do bolsa família for aprovado, você receberá o cartão do bolsa família. Ele pode ser enviado para sua casa ou para o CRAS e pode levar algum tempo para que você receba o cartão (de 15 a 45 dias). Após receber o cartão será necessário desbloqueá-lo, veja como desbloquear o cartão do bolsa família no link abaixo.

Como desbloquear o cartão do bolsa família.

Ao ser  selecionado e passar a receber o benefício do programa bolsa família, o responsável pela casa recebe uma carta informando que foi selecionado, mas se o cartão demorar a sair é possível sacar o primeiro mês do benefício apresentando o RG  em uma agência da caixa.

É possível acompanhar o pedido do benefício do bolsa família para saber se foi aprovado através do link abaixo